O Pilates pode ajudar na reabilitação da Incontinência Urinária?

O Pilates pode ajudar na reabilitação da Incontinência Urinária?

Sabemos que 40% da continência vem dos Músculos do Assoalho Pélvico (MAP), ou seja, a perda involuntária de urina está diretamente relacionada ao enfraquecimento dos MAP.

A técnica de Pilates é baseada no núcleo do corpo ou Power House ou CORE, confere estabilização para todo o corpo, onde é gerada energia, força e coordenação para qualquer movimento. O núcleo é formado pelo Assoalho Pélvico (AP) e músculos abdominais profundos, sempre combinados a uma correta respiração. Esse sinergismo potencializa a contração e consequentemente a reabilitação.

O Pilates é uma modalidade de exercícios terapêuticos de baixo impacto. A técnica enfatiza a força, equilíbrio, reequilíbrio muscular e realinhamento corporal e emocional, tudo isso sob o rígido controle consciente. Trabalha ainda com os princípios de controle, precisão e concentração que levam a conscientização da região pélvica e perineal, despertando a propriocepção local. Pesquisas mostram que 37% das mulheres não têm conhecimento e percepção das estruturas dessa região.

O correto alinhamento e posição estável do corpo também são preconizados pelo método e depende diretamente da pelve neutra. Qualquer alteração nessa angulação causará um desequilíbrio na posição dos órgãos pélvicos, podendo aumentar a pressão sobre o MAP. 

Durante o aumento da pressão intra-abdominal (tosse, espirro, flexão da coluna, etc), o AP contrai e uma co-contração dos músculos abdominais é necessária para prevenir a protrusão das vísceras abdominais, similarmente ocorre quando os músculos abdominais contraem sendo necessário recrutamento do AP para prevenir prolapsos pélvicos. Dessa forma, é necessário acionar primeiramente a musculatura pélvica e posteriormente a abdominal.

A ativação voluntária dos MAP leva ao aumento da pressão uretral de fechamento. Sendo assim, exercícios pélvicos influenciam o fechamento uretral, a partir das contrações voluntárias desta musculatura.

Dessa forma, a técnica de Pilates pode ser usada como mais um recurso da fisioterapia podendo proporcionar grandes benefícios como melhora da elasticidade e força muscular do AP, aumento da consciência corporal local e da capacidade de contração voluntária. 

Dra. Karen Burgos CREFITO 3/103585-F

© 2020 Feito por Sala5 Comunicação.