Quais exercícios trabalhar no primeiro trimestre da gestação?

Quais exercícios trabalhar no primeiro trimestre da gestação?

A gestação é um momento de intensas alterações fisiológicas, biomecânicas e emocionais. Desde o primeiro momento em que o teste é positivo, já existe um turbilhão de hormônios atuando no corpo da mulher.

São hormônios responsáveis por proteger a gestação, nutrir o bebê, e preparar o corpo para o parto, porém eles acabam gerando algumas consequências, que podem atrapalhar bastante a futura mamãe a levar uma gestação saudável e tranquila.

Neste artigo eu vou falar um pouco quais exercícios você pode trabalhar no primeiro trimestre da sua gestação. 

Nos primeiros meses de gravidez as gestantes sentem, na maioria das vezes, muitas náuseas e indisposição para fazer qualquer atividade diferente. Por isso, acabam não sentindo vontade de fazer nada, até mesmo o Pilates que é uma modalidade de exercícios mais cautelosa.

Nesta fase, as gestantes sentem muito medo de que algo aconteça com o bebê, esse é um momento onde existe o maior risco de aborto espontâneo, e, além disso, o momento de formação de todos os sistemas do bebê.

Por isso, mesmo que neste trimestre elas ainda não apresentem tanto as características da gestação, devemos continuar passando segurança para as mesmas, e também trabalhar com bastante cautela também.

Qualquer coisa que aconteça com o bebê, pode fazer com que ela se sinta culpada de iniciar os exercícios nesta fase.

Normalmente quando essa gestante tem a autorização do médico obstetra para continuar praticando o Pilates, ela não era sedentária, ficando assim mais fácil que ela acredite na segurança do método e dos exercícios aplicados.

Neste primeiro trimestre, eu dou ênfase no trabalho de fortalecimento da musculatura estabilizadora de tronco e da pelve.

Podemos continuar com os exercícios de flexão de tronco ou rolamentos para fortalecimento de abdômen, mas devemos cuidar muito bem para que esses movimentos sejam feitos com a ativação correta do power house, pois eles aumentam a pressão intra-abdominal e acabam empurrando o assoalho pélvico para baixo.

Por esse motivo que eu sempre falo para ter os cuidados com as flexões de tronco, mesmo que o abdômen ainda não esteja protuso, pois a gestação é um fator de risco para incontinência urinária devido ao efeito da relaxina e o peso do bebê sobre o assoalho pélvico.

Se essa musculatura não for trabalhada, pode perder a sua função de continência urinária e fecal, e o cuidado em não aumentar essa pressão intra-abdominal de forma aleatória pode diminuir esse risco também.

Logo, o que eu considero como essencial para ser trabalhado nesta fase da gestação é um rolamento com auxílio das molas do cadillac, ou das alças no reformer, ou de uma faixa elástica no solo. Mas não deixando de cuidar para que ela mantenha a ativação correta do power house, partindo da contração do assoalho pélvico.

Dra. Patricia de Andrade Valeriano – Crefito-3/77458-F

Fisioterapeuta e Instrutora de Pilates na WP Pilates & Saúde

© 2021 Feito por Sala5 Comunicação.           Razão social: WP Fisioterapia e Saúde Ltda                                                                               CNPJ: 18.804.945/0001-21