Diafragma e sua importância vital para a nossa saúde

Diafragma e sua importância vital para a nossa saúde

Nos textos anteriores falamos sobre o processo da ventilação pulmonar e a importância de respirar corretamente. Comentamos sobre os  exercícios respiratórios e seus benefícios, porém é importante ressaltar sobre as funções que o músculo diafragma tem desde o mais óbvio que é a respiração, até sua função na estabilidade corporal por meio da melhora no alinhamento postural aumentando o espaçamento entre as vértebras e discos intervertebrais diminuindo sua compressão. 

O diafragma também auxilia na drenagem de fluídos corporais e além de tudo isso está diretamente conectado às nossas emoções, portanto suas funções se estendem do mais óbvio ao menos óbvio, sendo extremamente importante para nossa saúde.

Durante muito tempo pensamos que o diafragma tinha uma função exclusiva como o principal músculo responsável pela respiração, e aprofundando mais nos seus aspectos, percebemos que ele está diretamente conectado a outros órgãos e sua função se estende a todos os sistemas do nosso corpo. Mas aonde queremos chegar com essas informações? 

Sabendo disso, podemos usar essa informação a nosso favor como forma de prevenção de dores, lesões, para diminuir o estresse do dia a dia, nos beneficiando com a melhora da saúde e qualidade de vida.

Podemos usar a respiração diafragmática diariamente, durante a prática de exercícios físicos e até durante as sessões de fisioterapia, sendo um dos componentes mais importantes durante o processo de reabilitação e para prevenção de lesões.  Por isso, é de suma importância que o fisioterapeuta inclua o princípio da respiração durante o seu atendimento.

De onde vem o diafragma?

O diafragma vem de conexões de vários tecidos do nosso corpo, desde a nossa cervical (possui a mesma inervação), ou seja a mesma raiz nervosa que conduz a contração dos músculos cervicais, inervam o músculo diafragma.

É formado pela mesma membrana (tecido) que envolve o coração; tem uma conexão com o esôfago pois compartilham um mesmo tecido conjuntivo (conectivo tecidual composto de células); é composto do mesmo tecido que forma os músculos abdominais, intercostais (ficam entre as costelas – que também é responsável pela respiração), músculos escalenos (responsáveis no processo da inspiração e localizam na cervical – pescoço) e por fim, é conectado ao nosso assoalho pélvico (que tem a função de sustentar os órgãos abdominais e pélvicos) e de sustentar (estabilizar a coluna lombar).

Tudo isso é para concluir que o músculo diafragma está diretamente conectado ao nosso assoalho pélvico, abdômen, coração e esôfago. Dessa forma, uma deficiência nesse músculo, desenvolverá uma deficiência nos demais, desequilibrando o nosso corpo.

Características anatômicas: O músculo diafragma está conectado as estruturas cervicais – músculos, através da mesma inervação (que é responsável pelas informações que saem do cérebro e retornam para ele, através do nervo frênico que está envolvido no processo de formação dos músculos cervicais e braquiais (vão para os braços), portanto qualquer problema no diafragma pode influenciar diretamente na cervical e nos braços, e dores nessas regiões podem ser por uma disfunção do diafragma.

Sua função durante a respiração: O diafragma trabalha em conjunto com o músculo intercostal (que localiza entre as costelas) e atua movimentando- as durante a respiração.

Durante a inspiração, eles contraem, o diafragma desce e os intercostais atuam na abertura das costelas (portanto o ar entra), já na expiração, eles relaxam, o diafragma sobe e os intercostais descem (e o ar sai).

Sua função na postura: Durante a inspiração o diafragma contrai e gera uma pressão intra abdominal, estabilizando a coluna vertebral, e quanto maior a demanda respiratória, menor é a função de estabilizar a coluna (pelo diafragma), muitos indivíduos que possuem dor lombar, apresentam uma fadiga respiratória, reduzindo a sua capacidade de sustentar a coluna, que vai melhorando quando a respiração vai diminuindo a sua demanda.

Sua função durante a digestão: Existe um papel importante durante a digestão do conteúdo gástrico e na deglutição, na prevenção de refluxo do conteúdo do estômago para o esôfago e durante o vômito. Para que ocorra o vômito, o músculo diafragma relaxa em uma porção (uma parte) para o conteúdo ser ejetado do estômago e contrai junto com os músculos abdominais para aumentar sua pressão e ser ejetado para fora.

Sua função durante a drenagem linfática corporal: O diafragma de acordo com sua localização e por causa do seu movimento durante a respiração (sobe e desce), no qual possui uma função motora (movimento) muito grande, ele “massageia” os órgãos auxiliando no funcionamento dos mesmos e por causa disso, drena grande parte dos fluídos pois 60% dos linfonodos ficam localizados embaixo do diafragma, e o ritmo da respiração diafragmática gera uma pressão negativa, puxando o fluído linfático de volta para o sistema linfático.

Sua influência cardíaca: O diafragma afeta diretamente no sistema cardiovascular, pois ele promove o retorno venoso criando um gradiente de pressão que facilita o fluxo de sangue de volta para o coração e ele aumenta quando se faz uma respiração lenta e profunda.

Existe um ligamento que conecta o coração ao diafragma e a falta de movimento do diafragma pode influenciar diretamente reduzindo a contratilidade do coração, prejudicando o.E durante a inspiração aumenta a frequência cardíaca, já a expiração diminui.

Sua influência na emoção: Já sabemos que com o aumento do estresse, a frequência cardíaca aumenta a demanda, como a respiração está diretamente ligada às funções cardíacas, portanto para a melhora desse quadro é necessário realizar a respiração diafragmática.

Depois de todas essas informações, nos perguntamos como usar isso no dia a dia? Grande parte das pessoas (80 %) não sabem respirar de forma correta, através da respiração diafragmática, então o que acham de começar a incluir na sua rotina os exercícios respiratórios (citados no texto anterior) e usar a respiração de forma mais lenta e profunda?

Dra. Nadja Hollerbach (Crefito-3/121005-F)
Fisioterapeuta na WP Pilates e Saúde

© 2021 Feito por Sala5 Comunicação.           Razão social: WP Fisioterapia e Saúde Ltda                                                                               CNPJ: 18.804.945/0001-21