Os benefícios da respiração

Os benefícios da respiração

Você sabia que a maioria das pessoas não sabe respirar de forma correta e
eficiente? Pois é, a primeira coisa que fazemos ao nascer é respirar, então é algo
que realizamos de forma natural e sem pensar. Ao olhar um recém nascido
respirando, observamos que movimentam o abdômen e costelas, esse padrão é o mais correto e eficiente, a respiração profunda, onde utilizamos a capacidade total pulmonar e o músculo diafragma. O problema é que quando crescemos, esquecemos como respirar, e usamos um padrão superficial, onde movimentamos a parte superior do tórax (região superior do pulmão), usando apenas 30% da capacidade volumétrica, onde podemos chegar até 100%.

Mas como isso ocorre? Passamos ao longo da vida por situações de stress, onde nosso corpo se sente ameaçado, e a respiração fica rápida e superficial,
chamamos de reação de fuga. Nosso organismo age dessa maneira como forma de proteção para captar o máximo de oxigênio do ambiente para conservar energia para conseguir sair de forma rápida daquela situação. Em situações normais, respiramos entre 17 a 18 vezes por minuto, nessa situação de stress, chegamos a 30 vezes. O problema é que nem sempre estamos em uma situação de fuga real, e muitas vezes passamos a respirar dessa forma (superficial) quando não há risco algum, por exemplo: em problemas familiares, antes de uma prova, ou no trabalho, e como não é possível fugir dessas situações, permanecemos respirando dessa forma. Portanto, uma forma de melhorar e corrigir esse padrão, é realizar exercícios
respiratórios com a finalidade de reaprender a forma correta e eficiente, trazendo benefícios para o nosso corpo.

Então se a respiração superficial ativa um estado de alerta e fuga, o contrário (forma profunda), faz com que nosso organismo entenda que podemos relaxar e que não há perigo, liberando substâncias naturais calmantes no cérebro e em todo o corpo, reduzindo os batimentos cardíacos e promovendo um relaxamento muscular.

Os benefícios de respirar corretamente são inúmeros como:

● Causar um efeito calmante no corpo: pois ativa um neurotransmissor que se
chama GABA, que é ansiolítico natural, que inibe as atividades cerebrais que causam estresse;

● Melhora o funcionamento intestinal e da digestão: pois aumenta as atividades
musculares através do peristaltismo, onde leva o conteúdo até seu destino final;

● Melhora do metabolismo celular: Fazendo com que o sangue transporte mais oxigênio para os tecidos, músculos e células;

● Melhora da capacidade pulmonar: através de uma respiração mais profunda,
condicionamos e ele se torna mais elástico, suportando um volume maior de
oxigênio para a troca gasosa, ficando mais forte e resistente;

● Manutenção da pressão arterial (controle do stress) através do bombeamento adequado de sangue através de um menor volume, promovendo um relaxamento da musculatura cardíaca, fazendo com que o coração relaxe para executar a sua função;

● Elimina os radicais livres: através de uma respiração correta, pode se levar a quantidade de oxigênio adequado para as células, estabilizando os radicais livres, e assim seus efeitos se tornam menos nocivos, prevenindo o envelhecimento precoce;

● Controle do peso corporal: Algumas técnicas de respiração ajudam a queimar
mais calorias, pois o oxigênio ajuda no metabolismo dos alimentos, aproveitando os mais evitando que sejam transformados em gordura;

● Preservação das funções cognitivas: quando o cérebro está bem oxigenado,
funciona plenamente e inclusive a função da concentração, e a falta do mesmo pode causar algumas alterações como raciocínio, fala, memória, entre outros;

● Melhora da qualidade do sono: uma das coisas mais importantes, é o sono.

Tem a função de reparar e recuperar as células do nosso corpo, e a falta de
oxigênio leva a apnéia profunda, onde despertamos várias vezes durante a noite.

Respiração Diafragmática

É a respiração correta, porém na maior parte das vezes não usamos esse padrão. O músculo intercostal e o diafragma, são os principais músculos respiratórios. Um controla a expansão do tórax – intercostais (através do movimento das costelas) e o outro auxilia na expansão das últimas costelas – diafragma, (onde
fica a base do pulmão) e ocorre a troca gasosa.

No entanto, quando inspiramos, o diafragma desce (movimenta para baixo), assim o ar entra, e quando expiramos, o diafragma sobe (movimenta para cima), expulsando o ar. Essa movimentação cria duas pressões, positiva e negativa, auxiliando na entrada do oxigênio e na expansão do pulmão, conseguindo puxar o ar de forma mais eficiente. Portanto, a respiração correta é aquela que durante a inspiração garante o maior volume de ar.

Para concluir, lentidão durante o processo é a chave do sucesso, é estimado que a maioria das pessoas respiram entre 16 a 17 vezes por minuto o que é considerado um ciclo muito rápido, o ideal é em torno de 10 vezes por minuto, assim o oxigênio permanece por mais tempo dentro do pulmão, chegando de forma ideal para as células do nosso corpo.

No próximo texto falaremos sobre como realizar a respiração diafragmática de forma correta através de um exercício que vocês podem realizar diariamente criando uma rotina de respiração saudável.

Dra. Nadja Hollerbach (Crefito-3/121005-F)

© 2020 Feito por Sala5 Comunicação.