Ruptura de Tendão Calcâneo, a lesão que tirou Kevin Durant da Final da NBA 2019

Ruptura de Tendão Calcâneo, a lesão que tirou Kevin Durant da Final da NBA 2019

Há um tempo atrás “viralizou” pela internet um vídeo onde um rapaz iniciava um tiro de corrida e logo vemos o tendão calcâneo de uma das suas pernas se romper por completo. Foi um vídeo bem comentado mesmo para as pessoas mais leigas no assunto e por nós profissionais da área.

A temporada 2018/2019 da NBA acabou há poucas semanas com uma surpreendente vitória do time azarão contra o favorito recheado de estrelas da liga. Uma dessas estrelas, Kevin Durant (Ala, Ala-pivô do Golden State Warriors), foi ofuscado por uma lesão que o impossibilitou de participar do jogo 6, aquele que seria o decisivo.

Kevin Durant – Photo: Joe Murphy/NBAE (Getty Images/AFP)

Novamente a mesma lesão que citamos acima que há tempos ficou bem conhecida, agora se deu dentro de uma grande liga e com uma super estrela.

Mas que lesão é essa? Porque tal lesão ocorre? Como prevenir a mesma?

Os tendões são estruturas fibrosas, formadas por tecido conjuntivo, cuja principal função é de conectar e transmitir a força muscular para a estruturas ósseas, permitindo que o movimento corporal ocorra.

Predominantemente formado pelo colágeno do tipo I, tendões tem capacidade de suportar grandes cargas tensivas e ao mesmo tempo possuem certo grau de elasticidade.

A lesão se dá por conta da ruptura ou descontinuidade tendinea, localizada entre o ventre do músculo gastrocnêmio e o calcâneo(calcanhar).

As causas são multifatoriais (individuais do paciente, como aumento da idade, sexo e obesidade), mas iremos abordar aqui o fatores da lesão aguda (overuse, prática esportiva, tipo de calçado).

Tal lesão pode ser advinda de uma situação aguda e de imediato ou pode estar associada a uma lesão prévia (crônica).

Nas lesões imediatas, aconteceria com uma macro-lesão, sendo ela um impacto direto na região aonde se localiza o tecido ou um entorse de tornozelo severo.

Em ambas situações o tendão recebe cargas tensivas além do que o mesmo pode suportar e tende se romper parcialmente (cargas tensivas menores e mais frequentes) ou por completo (carga tensiva abrupta ou trauma local).

Já em relação a ruptura do tendão calcâneo pode estar associado a overuse (uso excessivo) ou situação crônica, sendo ele uma tendinite, tendinose ou retorno precoce do atleta a suas atividades.

A prevenção desta disfunção pode ser feita com fisioterapia esportiva ou traumato-ortopédica. O “X” da questão é desvendar o que causa essa carga excessiva no tendão, podendo ser tensionamento de músculos da panturrilha, fascia plantar, saltos com sinergia e recepção de impacto de forma totalmente errada, mecânica de corrida ou de execução do gesto esportivo ou até mesmo um calçado não adequado, pode levar a esta lesão.

Para cada situação nós como fisioterapeutas iremos abordar a lesão de uma maneira individualizada. Pois, mesmo que os atletas tenham lesões iguais, a funcionalidade dos indivíduos serão totalmente diferentes e nosso tratamento também será especifico para cada um deles.

Otimizando algumas funções (fortalecimento de músculos efetores e estabilizadores), reeducando outras (reeducar o gesto esportivo do atleta) e fazendo a manutenção da sinergia muscular mais segura e mais efetiva (estabelecer boa aferência de distal para proximal).

Se você gostou dessas informações e conhece alguém que pode se beneficiar compartilhe esse texto e marque essas pessoas nos comentários em nossas redes sociais.

Dr. Neto Ribeiro – Crefito3\ 257794-F
Fisioterapeuta e instrutor de Pilates na WP Pilates & Fisioterapia

Deixe uma resposta

Fechar Menu
× Chamar no WhatsApp