Fisioterapia na Prevenção e Melhora da Performance do Praticante de CrossFit

Fisioterapia na Prevenção e Melhora da Performance do Praticante de CrossFit

Crossfit é uma modalidade que ganha adeptos mais e mais nos dias de hoje, criada em 2000 por Greg Glassman.

Dentro deste método de treinamento é caracterizado pela realização de exercícios variados em alta intensidade.

O treinamento do mesmo visa desenvolver ao máximo as três vias metabólicas e cada uma das 10 valências físicas: resistência cardiorrespiratória, força, vigor, potência, velocidade, coordenação, flexibilidade, agilidade, equilíbrio e precisão utilizando exercícios do levantamento olímpico como agachamentos, cleans, deadlifts, press, e exercícios aeróbios como natação, remos, corrida e bicicleta, e movimentos ginásticos como handstand, paralelas, argolas e barras.

Mas aonde entra a fisioterapia nisto tudo?

O Crossfit abordado cientificamente, nos trouxe prevalência de 73,5% de lesões, sendo ombro o segmento articular mais acometido, seguido por região lombar e joelho.

Tais indices e lesões são advindas por movimentos com alta carga e com alto número de repetições dos exercícios, que são a caracteristica da modalidade. No mesmo estudo o índice de lesão do Crossfit comparada a outras modalidades não é tão discrepante, “Nos esportes foram encontradas taxas de 2,3 a 33 lesões na corrida de rua, 2,5 no handebol, 5,4 no triatlo, 5,45 na ginástica, 9,6 no futebol e 26,7 no rugby, a cada 1.000 horas de treinamento”.

Para a fisioterapia estes números, tem muita relevância, pois trabalharemos na reabilitação destes praticantes/atletas, principalmente na prevenção e na melhora da performance.

Por se tratar de um esporte que há muitas variáveis e padrões de movimentos integrados, deixando assim a sua prática mais complexa.

Entender o padrão de movimento (sinergia, alinhamento postural e estabilidade) é nosso papel como fisioterapeuta do esporte, para que possamos evidenciar em qual momento o nosso paciente tem sido falho na execução de certo movimento. A falha na execução do movimento, pode acarretar alguns fatores.

As sobre cargas em certas regiões geram aumento de pressão em dada região articular, levando também à um aumento das tensões musculares, do stress em tecidos tendineos e ligamentares.

Lembrando que um bom padrão de movimento ocorre quando as forças são dissipadas de forma igualitária para todos segmentos musculoesqueléticos.

A prevenção dará mais segurança e trará maior eficiência ao atleta, uma vez que ele não ficará afastado da sua prática e terá melhores condições de se desafiar dentro dos treinos. Pois essa é essência do Crossfit, é se desafiar a cada treino sendo melhorar seu próprio tempo, número de repetições ou aumento de carga.

Se você gostou dessas informações e conhece alguém que pode se beneficiar compartilhe esse texto!

Dr. Neto Ribeiro – Crefito3\ 257794-F
Fisioterapeuta e instrutor de Pilates na WP Pilates & Fisioterapia


Referência para os números do texto: Dominski, F. H., Siqueira, T. C., Serafim, T. T., & Andrade, A. (2018). Perfil de lesões em praticantes de CrossFit: revisão sistemática. Fisioterapia e Pesquisa, 25(2), 229-239)

Deixe uma resposta