Alterações do corpo da mulher na gestação e a importância do exercício físico

Alterações do corpo da mulher na gestação e a importância do exercício físico

Durante a gestação muitas modificações anatômicas, fisiológicas e biomecânicas acontecem no corpo da mãe, com o objetivo de suportar o desenvolvimento e o crescimento do seu bebê.

Muitos sistemas do corpo da mulher passam por alterações, e abaixo vou explicar um pouco sobre algumas dessas modificações.

Sistema Cardiovascular

A frequência cardíaca tende a aumentar progressivamente a partir da 4ª a 7ª semana gestacional, o que eleva os batimentos cardíacos de 10 a 20 batimentos por minuto.

Com o aumento do volume sanguíneo, da frequência cardíaca e a redução da resistência vascular periférica, o coração tem que trabalhar mais para bombear todo o sangue e isso influencia no aumento do débito cardíaco (30% a 50%), que é o volume de sangue sendo bombeado pelo coração em 1 minuto.

A posição adotada pela gestante pode influenciar o débito cardíaco. O decúbito dorsal (deitada de barriga para cima), principalmente no terceiro trimestre, pode fazer com que o útero comprima a veia cava inferior, interferindo na oxigenação e nutrição do bebê. Por isso é tão importante ter a orientação e acompanhamento adequado durante a gestação.

Sistema respiratório

O diafragma respiratório se eleva cerca de 4cm e a caixa torácica aumenta em 5cm a 7cm.

A capacidade do pulmão se expandir fica reduzida e os volumes e capacidades do pulmão sofrem alterações.

Todas essas modificações no sistema respiratório podem fazer com que a gestante tenha dificuldades na respiração e utilize musculaturas acessórias para respirar, o que contribui para fadiga e cansaço.

Sistema gastrointestinal 

A ação de alguns hormônios durante a gestação promove uma lentidão da digestão alimentar e diminuição da motilidade intestinal, com o objetivo de melhorar a absorção de nutrientes para fornecer ao bebê. Porém, a gestante pode ter como consequência, constipação intestinal, refluxo gastroesofágico, náuseas e vômitos.

Sistema musculoesquelético

Todas essas modificações fisiológicas responsáveis pelo desenvolvimento e o crescimento do bebê acabam influenciando na postura da gestante.

O crescimento do útero e das mamas, o aumento do peso e a ação de alguns hormônios afetam diretamente os músculos, ligamentos e articulações, além de modificar o centro de massa da gestante, que fica mais a frente.

O músculo reto abdominal também sofre uma separação para dar espaço e acomodar o bebê, porém, essa separação além do fisiológico pode causar instabilidade, dor lombar e outras disfunções.

Essas alterações provocam instabilidade pélvica e de tronco, e instabilidade postural, além de mudar o centro de equilíbrio da gestante, o que pode gerar dores e desconfortos.

Exercício físico na gestação

Cada trimestre da gestação tem as suas particularidades e essas alterações precisam ser respeitadas para a prática de qualquer atividade física.

O ideal seria se a mulher buscasse um acompanhamento especializado antes de engravidar, com o objetivo de preparar o corpo para receber a gestação.

Contudo, o preparo do corpo para a gravidez busca a promoção de uma gestação saudável, visando de modo geral, prevenir e/ou minimizar as possíveis dores e desconfortos que possam ocorrer, além de auxiliar em questões emocionais como a melhora da ansiedade e do estresse, pelo simples fato da gestante conhecer melhor o seu corpo e se sentir preparada quando chegar a hora do parto.

Dra. Letícia Dias Pinto de Oliveira – CREFITO 3/259894-F

© 2021 Feito por Sala5 Comunicação.           Razão social: WP Fisioterapia e Saúde Ltda                                                                               CNPJ: 18.804.945/0001-21