lesões corredores

As 3 lesões mais comuns entre corredores de rua

São lesões que no início podem parecer apenas desconfortos, mas com o evoluir das disfunções pode ser bem incapacitantes e tirar nosso atleta de suas atividades esportivas por certo tempo.

Síndrome da Banda Iliotibial

A Síndrome da Banda Iliotibial é uma inflamação numa estrutura chamada banda iliotibal, que se inicia na lateral do quadril e se insere na lateral do nosso joelho. O que causa desconfortos e dores nesta região são cargas laterais advindas de mecânica ruim no padrão de movimento da corrida (joelho ou quadril sempre fazendo movimento pra fora durante toda a corrida/joelho varo/inclinação). Essa estrutura sofrerá com fricções ali próximas da região do joelho e nos dará sinais de dor ou incomôdo.

Tendinopatia patelar

A tendinopatia patelar (inflamação no tendão na parte anterior e abaixo da patela do nosso joelho) é uma disfunção que pode estar associada anterior ao praticante da corrida iniciar a prática ou ser desenvolvida durante os treinos e competições da tarefa.

Tendinopatia Calcânea

A Tendinopatia Calcânea (tendão de aquiles) é caracterizada por uma dor na região do tendão ali próximo do calcanhar, bem comum aparecer nos finais de treinos e quando se agrava tende a aparecer um pouco mais cedo nos treinos e em outras atividades (subir e descer escada, andar ou saltar).

O trabalho de otimização da sutentação vertical aliado ao aumento de cadência pode resolver a mecânica ruim. Sempre lembrando que devemos ver como o indivíduo se comporta na tarefa e excluir qualquer outro fator extra corrida. Estamos falando de uma pessoa que sente estas queixas apenas para correr ou que começou a sentir a mesma durante a prática da corrida e posteriormente sente para outras tarefas.

Em mais uma queixa a má sustentação do corpo na vertical implica num padrão ruim e que nos leva a apresentar desconfortos, incômodos e dores durante a prática da corrida. Não tendo uma boa sustenção vertical perdemos performance, aumento de demanda e sobrecargas em tendões, músculos, estruturas ósseas que deveriam estar trabalhando em conjunto com cada um fazendo seu devido “trabalho” sem fazer compensações. Mais uma vez lembrando que o movimento ideal consiste num padrão seguro ou mais seguro, que gere eficiência, estabilidade, boa sequência de movimentos e assim gerando melhor performance, afastando o risco de lesões e por ventura afastamento da atividades esportiva.

Identificando a raiz do problema e colocando o indivíduo para executar um trabalho de melhor sustentação vertical com exercícios que reeducam funcionalmente, daremos mais segurança e eficiência para nossa corrida.

© 2021 Feito por Sala5 Comunicação.           Razão social: WP Fisioterapia e Saúde Ltda                                                                               CNPJ: 18.804.945/0001-21