Por que acho o MMA o esporte mais duro dentro de todos os outros?

Por que acho o MMA o esporte mais duro dentro de todos os outros?

Este será um post de uma opinião bem pessoal sobre um dos esportes mais imprevisíveis, emocionantes e também duros.

Eu, como Fisioterapeuta do esporte, tenho em mente que preciso assistir e acompanhar o maior número de práticas esportivas que puder. Isso porque não sei qual tipo de atleta aparecerá lá na clínica para uma avaliação, por exemplo. Isso implica diretamente em entender o mecanismo de lesão, estilo de vida, tipos de treinamentos e afins do atleta e da modalidade em si.

Citei a palavra “duro” no parágrafo acima para concretizar a ideia do quão é dificil ser um atleta de MMA (Artes Marciais Mistas). Acompanho e sou fã da modalidade há 12 anos, vi a evolução do esporte neste período e agora que tenho uma visão além do espectador médio e entendendo bastante de fisiologia, anatomia, movimento e programas de treinamentos, tenho certeza que este esporte é mais difícil de ser praticado em alto nível.

Abaixo, listo tais pontos:

MMA é o triatlon da luta – o atleta aplica chutes, socos, joelhadas, cotoveladas (potência e agilidade), luta agarrado fazendo força isométrica (resistência e força), tudo em posturas altas, intermediárias e baixas por no mínimo, 15 minutos.

Imprevisibilidade – são muitas possibilidades desta modalidade ocorrer e terminar, fator estratégico é constantemente adpatado durante a luta. A fadiga mental acaba aparecendo nesse caminho.

Desidatração – 95% dos lutadores lutam em categorias de peso que não são as suas de fato, este fator aumenta a chance de diminuição no nível de performance.

Fator psicológico – um esporte tão complexo e com tantas variáveis traz impacto ao psicológico do atleta. Ansiedade, excitação exagerada e medo estão em constante evidência, pois fundamentalmente você pode machucar seu oponente para que tenha êxito.

Período de treinos extenuantes – o training camp que são chamados os períodos de treinos, é a parte mais difícil de todo esse ciclo, sendo na maior parte das vezes de cinco duras semanas entre preparação física, treinos específicos como luta em pé (boxe, muay thai e kickboxing), luta agarrada (jiu jitsu e wrestling), MMA (junção de tudo isso) e sparring (sessões que simulam a luta de fato).

Este é um post pessoal embasado em conhecimento científico dentro da fisioterapia e com a experiência que tenho praticando arte marcial por mais de 10 anos.

© 2020 Feito por Sala5 Comunicação.