A importância da mobilidade articular corporal para saúde

A importância da mobilidade articular corporal para saúde

Hoje em dia temos escutado falar sobre exercícios que trabalham a mobilidade articular, mas qual é a sua importância? E por que os incluir nas atividades físicas e diárias? 

A mobilidade articular tem a função de melhorar o padrão de movimento que realizamos tanto nas atividades diárias como na prática do esporte, por meio de movimentos simples como o agachar, empurrar, saltar, entre outros. Portanto, mobilidade articular é a função que o nosso sistema neuromuscular exerce ao movimentar as articulações seja em pequena ou em grande amplitude e livre de qualquer restrição. Não podemos deixar de falar sobre a flexibilidade, que está associada a tecidos moles, como os músculos, e para o corpo desempenhar a sua função biomecânica de forma eficiente precisamos que os componentes osteocinemático (flexibilidade) e o artrocinemático (mobilidade articular), trabalhem em conjunto e em plena sintonia. 

Mobilidade Osteocinemática: São movimentos realizados em grande amplitude e de forma ativa, tais como: flexão e extensão de cotovelos e joelhos, rotações que ocorrem no tronco, etc… São chamados de movimentos fisiológicos. 

Mobilidade Artrocinemática: Eles ocorrem dentro da articulação entre a cápsula articular (componente que protege o osso, impedindo o atrito de um osso sobre o outro) e permitem que os movimentos fisiológicos ocorram sem causar impacto e lesão ao longo das estruturas articulares. 

O que ocorre com a ausência da mobilidade? 

A falta de mobilidade pode resultar em diminuição da amplitude de movimento realizado entre as articulações e alguns fatores podem levar a esse déficit tais como: o processo de envelhecimento que naturalmente ocorre a perda da massa óssea, redução do espaço entre as articulações (intra articulares), rigidez articular e limitada por meio de dores; e principalmente o sedentarismo, que leva a falta de movimento e estímulos para a articulação. 

Benefícios dos exercícios que realizam a mobilidade articular

Os exercícios que realizam mobilidade (movimento entre as articulações), estimulam a produção do líquido sinovial que tem a função de lubrificar e auxiliar no deslizamento de uma articulação sobre a outra, reduzindo a chance de impacto e processos degenerativos e de dor consequente disso. E além desse componente, diminui a tensão excessiva muscular pois realizam a manutenção do seu comprimento normal, e por isso diminuem as sobrecargas e tensões nas articulações, melhorando assim, a função motora (movimento) corrigindo os desequilíbrios musculares.

Equilíbrio do corpo: quais articulações necessitam de mobilidade? 

É importante ressaltar que nem todas articulações necessitam de movimento e muitas, tem a função de estabilidade e de suporte para as demais, então a teoria da articulação por articulação é de suma importância para que os profissionais do movimento respeitem e utilizem para que as pessoas se beneficiem desse resultado trazendo mais qualidade de vida e prevenindo ou tratando as lesões. Essa teoria diz que para mantermos o nosso corpo saudável necessita de uma equilíbrio entre as articulações onde uma tem função de sustentação e estabilidade e a próxima tem a função de mobilidade, assim garantem um movimento funcional e sem compensações. 

Por causa disso, devemos ficar atentos quanto às necessidades individuais de cada articulação e utilizar durante as atividade físicas e terapêuticas. 

Componentes individuais articulares

Como falamos acima, descrevemos algumas particularidades das articulações do nosso corpo:

Tornozelo: É necessário estimular através de exercícios que trabalham a mobilidade, para auxiliar e realizar a marcha de forma adequada e eficiente; 

Joelhos: É a próxima articulação, e para um bom equilíbrio, trabalhamos estabilidade com exercícios para o fortalecimento dos músculos da perna;

Quadril: Trabalhamos mobilidade, já que é uma articulação que permite movimentos amplos de flexão, extensão, abdução (abertura), adução (fechar, aproximar), rotações internas e externas e circundução; 

Coluna Lombar: Tem a função de suporte e estabilidade do tronco, portanto é de suma importância trabalhar fortalecimento para essa região; 

Coluna Torácica: Função de mobilidade, e realiza grandes movimentos como: flexão, extensão, inclinação lateral e de rotação; 

Cintura Escapular: Função de estabilidade, principalmente trabalham em conjunto com a articulação do ombro; 

Glenoumeral (articulação do complexo do ombro): Tem a função de mobilidade, pois realizam movimentos amplos como flexão, extensão, rotação, abdução e adução; 

Coluna Cervical: Necessita de mobilidade, pois realiza movimentos de grande amplitude, trabalhando em conjunto com o sistema ocular (óculo motor). 

Depois de todas essas informações, podemos pensar em como utilizá-las no dia a dia para aplicar antes das atividades físicas ou diariamente. Os exercícios de mobilidade têm a função de melhorar a capacidade das articulações para realizar os movimentos funcionais que são extremamente importantes para ter uma vida saudável e ativa e livre de dores. 

Dra. Nadja Hollerbach Cardoso Ferreira – Crefito 121005-F

© 2021 Feito por Sala5 Comunicação.           Razão social: WP Fisioterapia e Saúde Ltda                                                                               CNPJ: 18.804.945/0001-21