A importância do movimento para o alívio das dores no corpo
Healthy men Injury from exercise in the gym, he injured his knee

A importância do movimento para o alívio das dores no corpo

Em caso de dor o que é ideal: Repouso ou Movimento?

O que seria mobilidade articular?

É o movimento de uma ou mais articulações, podendo ser em qualquer amplitude (pequena ou grande) sem nenhuma restrição. Para que o movimento articular ocorra de forma eficiente, necessitam dos músculos, ligamentos, tendões, bursas e cápsulas articulares, pois, trabalham em conjunto para exercer um bom desempenho (sem traumas e restrições).

Existem dois tipos de mobilidade:

Pequena Amplitude (interior da articulação): permite o movimento sem lesar as estruturas, entre eles são: deslizamento, rolamento, tração, compressão e giro. São micromovimentos, os quais são realizados naturalmente e não de forma ativa pelo indivíduo.

Grande Amplitude: São movimentos fisiológicos, ou seja, realizados de forma ativa pelo indivíduo. Entre eles são: flexão de joelho, extensão de cervical e extensão de cotovelo, etc.

Quais os sintomas da dor articular?

É bem incômodo, pois, o indivíduo costuma sentir queimação ou rigidez, podendo ser em uma ou mais articulações, ou no corpo todo. Ela pode estar associada a um processo inflamatório ou a um desgaste da própria articulação, durante o movimento ou até no repouso (ausência do movimento), limitando as tarefas diárias.

As suas características são: dor em queimação, pontual (localizada) e rigidez durante o movimento, podendo estar associada a crepitação (estalos) intra-articulares.

Quais são os sintomas da dor muscular?

As suas causas são diversas: pode ocorrer por uma sobrecarga no músculo por uso excessivo no dia a dia, no esporte, má postura, por estresse e aumento da tensão; pois, através desse estresse o nosso corpo produz hormônios que podem aumentar a tensão muscular limitando os movimentos, o que é muito ruim para realizar as tarefas diárias.

O importante é lembrar que as dores nas articulações são diferentes das musculares, porém, uma pode resultar na outra.

O devemos fazer para evitar e para tratar as dores musculoesqueléticas?

Esta é uma dúvida bem frequente, pois antigamente as pessoas faziam repouso (não movimentavam), acreditando que com o movimento o processo inflamatório aumentaria.

Com a evolução da medicina é possível observa que, em muitos casos, a falta do movimento resulta na perda de força muscular, de amplitude de movimento da própria articulação, trazendo prejuízos para o retorno das tarefas diárias do indivíduo.

Em caso de dores o mais indicado é procurar um médico para o tratamento medicamentoso e um fisioterapeuta para orientar quais os exercícios indicados para lesão instalada ou até para prevenir.

O movimento promove o alívio das dores, pois, regenera o tecido através da liberação hormonal e de neurotransmissores (interpretando esse estímulo a nível cortical–cerebral).

Quando a dor é mecânica ocorre através do movimento, usa-se o mesmo para estimular mudanças na articulação restabelecendo a sua mobilidade recuperando a sua função.

Por exemplo: Se uma pessoa tem dificuldade de realizar uma flexão de joelho, é de suma importância recuperar a sua função através de exercícios específicos para flexiona-lo, porém, respeitando os limites do paciente (em caso de dor) trabalhando numa amplitude mais reduzida se necessário.

O Tratamento é baseado em 3 fases:

— Fase inicial: Quando inicia o processo inflamatório (fase aguda) pode aparecer vermelhidão na pele, aumentando a temperatura local e com presença de edema. Tem a duração entre 3 a 4 dias, e o repouso é importante nessa fase podendo iniciar o tratamento medicamentoso com anti-inflamatório (recomendado pelo médico).

— Fase intermediária: É uma fase importante para dar início aos exercícios, respeitando os limites do paciente de acordo com o seu limiar de dor, trabalhando em amplitudes menores e aumentando de acordo com a sua melhora.

— Fase final: Onde incluímos exercícios mais vigorosos, intensificando o fortalecimento muscular até alcançar a amplitude total da articulação para o retorno das suas funções normais.

Uma atividade que traz esses benefícios é o Pilates, pois, promove o fortalecimento dos músculos profundos, que tem a função de sustentar as articulações e protege-las dos impactos e da sobrecarga das atividades diárias.

Ele obtém esse resultado, pois, proporciona alongamento e fortalecimento dos músculos profundos do corpo todo através de contrações sustentadas.

Portanto, para ter uma vida saudável é de extrema importância escolher uma atividade que trabalhe o corpo todo, que promova mobilidade, estabilidade, alongamento e força muscular. Movimente-se!

Dra. Nadja Hollerbach Cardoso Ferreira –  Crefito-3/121005-F
Fisioterapeuta e instrutora de Pilates na WP Pilates & Saúde

Deixe uma resposta

Fechar Menu
× Chamar no WhatsApp