Hérnia de Disco x Protusão Discal

Hérnia de Disco x Protusão Discal

Antes de iniciar sobre o assunto, é importante entender como é a constituição da coluna, sem alterações.

A coluna vertebral estende-se do crânio até a pelve (quadril), é formada por vértebras (articulações), discos intervertebrais (separa uma vértebra da outra), ligamentos e músculos (sustentação).

Possui 24 vértebras sendo: 7 vértebras cervicais, 12 vértebras torácicas, 5 vértebras lombares, sacro e cóccix.

A cervical, torácica e a lombar possuem curvaturas fisiológicas, que tem como característica de absorção de impacto que sofremos no dia a dia através dos movimentos e das tarefas diárias.

Em uma vista lateral observa-se as curvaturas:

.Cervical (lordose);

.Torácica (cifose);

.Lombar (lordose);

.Sacro (cifose).

Quando ocorre o aumento dessas curvaturas chamamos de hipercifose e hiperlordose, quando perdemos essas curvaturas, chamamos de (retificação) e existe também a escoliose.

Funções da coluna vertebral:

.– Proteção da medula e dos nervos;

– Sustentação do corpo;

– Exerce a função de locomoção e da manutenção da postura;

–. Fixa as costelas, músculos do tronco e o quadril (pelve);

.– Auxilia nos movimentos de flexão (para frente, para trás e para os lados) e promove rotações.

Disco Intervertebral:

Fica entre as vértebras, exerce a função de absorção de impacto durante os movimentos. É constituído por uma estrutura fibrosa (na periferia) e por uma estrutura interna central (macia e gelatinosa) que se chama núcleo pulposo.

Protusão Discal:

É quando o disco sofre uma sobrecarga e o anel fibroso que fica na extremidade sofre uma distensão (sem rompimento), o núcleo empurra esse anel, resultando em um desgaste e a uma dilatação. Por isso, ocorre uma compressão dos ligamentos e na inervação (que ficam ao redor do disco), gerando dor na região (localizada).

Sintomas:

Normalmente essa dor é no local (região afetada) e pode aumentar durante a tosse e ao espirrar (ocorre uma pressão interna), podem ocorrer formigamentos e dormência e irradiar para as pernas ou para os braços (tudo depende do local acometido). Com o passar do tempo se o indivíduo não procurar tratamento, pode – se levar a perda de força, pois a protusão pode atingir as raízes nervosas.

Causas:

As mais comuns são por má postura no dia a dia; compressões repetitivas por excesso de peso; profissões como (dentista, motorista, arquiteto, bancário) e fator genético.

Outros como:

– Levantar pesos como (empurrar e afastar);

– Manter- se muito tempo em uma mesma posição (sentado e em pé);

– Vibrações diretas na coluna (corridas e saltos);

– Inclinar o troco e girar repetitivamente como (pegar um objeto no chão sem flexionar os joelhos);

– Movimentos repetitivos no trabalho;

–.Trabalho pesado como (carregar grandes cargas).

Diagnóstico:

É feito através do relato do paciente e associado a exames como: ressonância magnética e tomografia computadorizada, para definir a localização e a proporção do acometimento.

Hérnia de Disco

Significa saída extravasamento do líquido gelatinoso (núcleo) através de uma fissura.

O anel fibroso que fica nas extremidades do disco sofre sobrecargas, desgastando e por fim ocorre uma fissura, permitindo o extravasamento do líquido do centro do disco para o meio externo, resultando em um achatamento desse disco.

Dependendo do local da saída desse liquido, o indivíduo pode sentir dores fortes ou não.

Você sabia que…

– 70% da população brasileira acima dos 40 anos sofre de dor ou de problemas na coluna;

– 95% das pessoas que possuem hérnia de disco não precisam de cirurgia, podendo tratar com fisioterapia;

– É a 2ª maior causa de afastamento do trabalho;

– Indivíduos com faixa etária de 25- 45 anos , possuem o maior índice de casos de hérnia de disco.

Causas da Hérnia de Disco:

A coluna vertebral é o nosso centro de equilíbrio, pois é a base da estabilização de todo o corpo, sendo responsável pela distribuição perfeita dos nossos gestos e forças dos nossos movimentos no dia a dia e principalmente durante a prática esportiva.

As lesões iniciam a partir do momento que desalinhamos essas estruturas e causamos desequilíbrio nelas, através da má postura

Existem posturas adequadas que devemos adotar durante qualquer movimento que realizamos e principalmente ao deitar, sentar e levantar, para não sobrecarregar as articulações e os músculos.

Fatores que são prejudiciais:

– Hereditários;

– Traumas diretos e de repetição;

– Prática esportiva;

– Fumo;

– Idade avançada (fator degenerativo);

– Posição no trabalho (muito tempo sentado ou em pé);

– Ação de inclinar + girar o tronco;

– Trabalhar dirigindo;

– Fletir o tronco com frequência para pegar objetos (sem flexionar os joelhos).

Principais características:

– Dor localizada na região acometida, podendo irradiar na cervical para ombros, braços, mãos e dedos e lombar para glúteo, pernas e pés.

– Dor por mais de 3 meses;

– Postura inclinada, por não conseguir sustentar;

– Dor noturna e piora ao acordar;

– Grande dificuldade em permanecer sentada;

– Redução de força no membro acometido;

– Dores de cabeça, pescoço que prolongam para os ombros;

– Dificuldade para levantar e para se locomover.

Diagnóstico:

É importante coletar a queixa do paciente para saber as características da lesão e exames como ressonância magnética e tomografia computadorizada para confirmar o local da lesão e o acometimento.

Dra. Nadja Hollerbach Cardoso Ferreira – Crefito-3/121005-F
Fisioterapeuta e instrutora de Pilates na WP Pilates & Saúde

Deixe uma resposta

Fechar Menu
× Chamar no WhatsApp